Buscar
  • Associação Angá

Holandeses e ONGs discutem a cana na região

Atualizado: 17 de Mai de 2019

Publicado no dia 10 de Outubro de 2010.

Os impactos da cana de açúcar sobre os recursos naturais da região foi o tema de reunião realizada nos dias 16 e 17 de setembro, na sede do Conselho Regional de Psicologia, em Uberlândia, pela ONG 4 Cantos do Mundo, de Belo Horizonte. 

A reunião contou com a participação da Angá e várias outras entidades do terceiro setor, situadas nas bacias dos rios Paranaíba e Grande, além de uma delegação holandesa formada por 4 ONGs - Oxfam, IUCN-NL, Solidaridad e Nature and Environment, que veio ao Brasil para discutir com o governo brasileiro um Memorando de Entendimento sobre Sustentabilidade de Bioenergia (biocombustíveis e biomassa).

No primeiro dia do encontro, as ONGs de Uberlândia e região, dentre elas Pomar(Campina Verde), Indesufram (Franca) e Angá (Uberlândia), fizeram uma apresentação de suas ações e relataram os impactos que já estão sendo percebidos na fauna e flora das bacias do Paranaíba e Grande, nos recursos hídricos e nas comunidades de agricultores com a entrada da cana de açúcar. No segundo dia, o grupo seguiu em visita técnica a áreas de plantios de cana-de-açúcar nas proximidades das nascentes do rio Uberabinha.

Durante a sua exposição, a Angá, representada pelo biólogo Gustavo Malacco, mostrou estudos sobre os efeitos da expansão dos biocombustíveis na biodiversidade regional e as condições atuais dos processos de licenciamento ambiental do setor. 

"Nos propusemos a destacar a expansão do setor em áreas consideradas prioritárias para conservação da biodiversidade, como por exemplo, na região do Chapadão Uberaba-Uberlândia, além da flexibilização do processo de licenciamento ambiental promovida pelo órgão gestor estadual (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável), que dispensou dezenas de empreendimentos da apresentação de Estudo de Impacto Ambiental e incentivou a averbação de milhares de hectares de reserva legal, principalmente na região do Norte de Minas, no período entre 2006 e 2007", assinala o biólogo.

Na visita téncica, as ONGs foram até a região da Usina de Uberaba - de produção de açúcar e álcool - situada nas áreas próximas às nascentes do rio Uberabinha, principal fonte de abastecimento do município de Uberlândia. Além da importância para o fornecimento de água para a população da maior cidade do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, a região se destaca ainda por estar inserida em área considerada prioritária para conservação de aves especialmente ameaçadas de extinção e migratórias. 

A presença de campos naturais, um dos ambientes mais ameaçados das duas bacias pela agricultura e mineradoras que exploram a argila refratária, chamou a atenção dos holandeses, preocupados com os impactos que a cana pode acrescentar a esse ecossistema.

Para a Angá, o plantio da cana de açúçar na região deve ser acompanhado de perto pelos orgãos ambientais e prefeituras para que não haja riscos de contaminação do lençól freático pelo lançamento de vinhoto.

Fotos da reunião:


Holandeses vieram discutir com o governo brasileiro a sustentabilidade na produção de cana

Biólogo da Angá mostra dados sobre o impacto da cana sobre a biodiversidade regional

Alguns dos participantes do workshop Brasil e Holanda sobre biocombustíveis

Área sendo limpa para plantio de grãos

Produção de carvão vegetal na região, outro fator que ameaça o Cerrado

O gado deu início à ocupação inadequada das áreas de recarga hídrica

Em área que deveria ser protegida, passa boi passa boiada

0 visualização

Assine nossa newsletter e fique por dentro!

CONTATO 

Avenida Anselmo Alves dos Santos, 118 - Sala 4 - Santa Maria - Uberlândia - MG

T: (34) 3083-4228

E: anga@anga.org.br

© 2019 por ANGÁ.

Orgulhosamente criado com Wix.com