Assine nossa newsletter e fique por dentro!

CONTATO 

Avenida Anselmo Alves dos Santos, 118 - Sala 4 - Santa Maria - Uberlândia - MG

T: (34) 3083-4228

E: anga@anga.org.br

© 2019 por ANGÁ.

Orgulhosamente criado com Wix.com

Equipe Profissional

Gustavo 

 

Biólogo graduado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e mestre em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), Gustavo Malacco é presidente da Angá, entidade proponente do Diagnóstico Socioambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha junto ao Fhidro (Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais). Nas oficinas, Malacco falará da atuação da Angá em defesa dos recursos hídricos e da biodiversidade, do modelo de participação da sociedade nas esferas de decisão das políticas ambientais e, sobretudo, nos dará uma visão - integrada e sistêmica - dos processos produtivos que ocorrem, e ocorreram, na região do Uberabinha e os seus impactos na qualidade ambiental desta Bacia linda, rica e produtiva.

Renata, Polyana e Paula

 

As biólogas Renata de Moura Guimarães Souto (foto 1), Polyana Duarte (foto 2) e Paula Hemsing (foto 3), graduadas pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), estarão juntas na mesma oficina. Renata apresentará a proposta da Angá, de monitoramento da qualidade da água do rio por meio de macroinvertebrados bentônicos, e irá explicar que espécies são essas cuja presença ou ausência podem nos dar informações sobre as condições ambientais de um curso d’água. Paula e Polyana abordarão a diversificada flora da Bacia, especificando as que correm risco de desaparecerem e apontarão o que é possível fazer para que os remancentes de Cerrado e Floresta, que sobreviveram à degradação dos últimos 50 anos, possam ficar de pé.

Eurípedes

 

Biólogo graduado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Eurípedes Luciano da Silva Júnior é colaborador da Angá desde 2009 e consultor ambiental, com experiências em inventário e manejo de fauna, regularização ambiental de empreendimentos e elaboração de programas de gerenciamento de resíduos sólidos, recuperação de áreas degradadas e educação ambiental. Sua participação nas oficinas será fundamental para definir conceitos importantes ao entendimento dos alunos e os estudos que a Angá está realizando.A biodiversidade, por exemplo, vai ganhar materialidade a partir de imagens, sons e da troca de vivências entre alunos e professor. Em suas aulas, o biólogo utilizará softwares e aplicativos geoespaciais, como o Google Earth e o Geo Tracker. As tecnologias geoespaciais ajudarão os alunos a se verem como parte de um meio que inclui o ambiente natural e as produções artificiais, resultado das ações humanas. 

Alfredo

 

Graduado pela Universidade Federal de Uberlândia, Alfredo Guimarães Silveira é geógrafo e especialista em Gestão de Recursos Hídricos pela UFU e Agência Nacional de Águas. Suas área de atuação é a  avaliação de impactos ambientais por meio de instrumentos de gestão do território e de geoprocessamento - que também é sua área de pesquisa, aplicada ao Turismo. Durante as oficinas, falará sobre os mapas de uso e ocupação do solo da Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha, além de analisar histórica e geograficamente as atividades econômicas praticadas na região. Os mapas de Fragilidade Ambiental, de Zoneamento Ambiental e de Áreas Degradadas da Bacia também serão abordados a fim de se discutir o que fazer para a melhoria da sua qualidade ambiental.

Iara

 

Iara Magalhães é mestre em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), professora e pesquisadora em cinema. Atualmente, é doutoranda em Comunicação Social na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e atua como consultora e oficineira em projetos de criação em audiovisual. No Uberabinha, meu amigo, Iara falará do papel das mídias e como elas podem ser empregadas na difusão e compartilhamento de temas de interesse coletivo, agregando e propagando informações de qualidade para toda a sociedade. 

Nara

 

 Nara Sbreebrow é graduada em Comunicação com habilitação em Jornalismo pela Universidade de Uberaba (Uniube) e em Cinema e TV, pelo Centro Universitário do Triângulo (Unitri). Dedica-se, desde 2004, ao audiovisual, produzindo documentários autorais, institucionais e publicitários, além de elaborar projetos culturais apoiados em leis de incentivo à cultura e  ministrar cursos e oficinas de jornalismo cultural e técnicas de produção livres para escolas de ensino médio e faculdades de jornalismo. É considerada a primeira mulher em Uberlândia a dirigir filmes – documentário e ficção – e, atualmente, dedica-se a temáticas de gênero e produção audiovisual híbrida, com pesquisa em cinema, dança e artes visuais. Nas oficinas, orientará os alunos no aprendizado das diversas técnicas do audiovisual, entre as quais a pesquisa, a entrevista e a elaboração de roteiros, visando a produção de mini docs que terão como pano de fundo a Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha.

Betânia

 

Betânia Côrtes é geógrafa, graduada pela Universidade Federal de Uberlândia, e atua na área de Comunicação Social como jornalista, tendo passado pelos principais jornais e emissoras de televisão de Uberlândia. Participou do projeto de criação da TV Universitária da UFU, compondo sua primeira equipe de profissionais. Ainda no setor público, esteve à frente da criação dos programas ambientais, Escola Água Cidadã e Buriti, de Proteção às Nascentes do Rio Uberabinha, ambos regulamentados por lei, da empresa de saneamento de Uberlândia, o Dmae. Como integrante da Angá, foi membro da diretoria do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha. Sua atuação em entidades ambientais da sociedade civil, no entanto, teve início no final da década de 80, na fundação da ONG SOS Uberabinha, em prol da despoluição do manancial que abastece Uberlândia e em defesa da manutenção da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, na época ameaçada de extinção.

Danilo

 

Graduado em Música pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Danilo Silva Aguiar é compositor e produtor musical de trilhas sonoras para filmes, games e TV. É mestre pela UFU em Artes/Composição Musical e especialista em música para jogos pela Game Audio Academy. Atualmente, é compositor assistente de Rafael Langoni Smith nos projetos da Rede Globo de Produções, tendo como trabalho mais recente a série televisiva “Ilha de Ferro”, da Globo Play. Atualmente, está trabalhando na composição da trilha sonora, captação e tratamento de áudio do documentário sobre a Bacia Hidrográfica do rio Uberabinha, que está sendo desenvolvido pela Angá.

Roberto

 

Roberto Chacur é fotógrafo, desde 1984, iniciando-se na área em uma rede de laboratório especializada em fotografia. Passou pelo fotojornalismo, atuando em revistas e jornais da região, além de ser correspondente de veículos nacionais, como Folha de S. Paulo, Exame e Isto É. Atualmente, é um dos mais respeitados fotógrafos do mercado mineiro de publicidade e foto autoral, contabilizando 18 prêmios nacionais e participação em curta-metragens e documentários. Na Angá, é fotográfo do projeto Diagnóstico Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha e cinegrafista do documentário que integra os estudos da Angá, com direção de imagens de Nara Sbreebow. 

Eduarda

 

Eduarda Yamaguchi é graduanda em Jornalismo na Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e colaboradora do Programa de Bolsa de Graduação Educomunicação UFU. Atualmente, é estagiária do Diagnóstico Socioambiental da Angá, atuando na área de mídias sociais e no desenvolvimento das oficinas Uberabinha, meu Amigo.