Programação 

OFICINAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA EM MEIO AMBIENTE PARA PROFESSORES E DE MEIO AMBIENTE E AUDIOVISUAL PARA ESTUDANTES

Proponente – Angá – Associação para Gestão Socioambiental do Triângulo Mineiro, com sede em Uberlândia, Minas Gerais.

Tema: Os resultados colhidos pela Angá no projeto Diagnóstico Socioambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha: unidade de planejamento e gestão ambiental.

Desafio aos Professores: O envolvimento da comunidade escolar nas políticas de melhoria da qualidade ambiental da Bacia e a inserção da problemática ambiente, economia e cultura na BH do Rio Uberabinha, nas aulas ministradas pelos professores participantes das oficinas e em ações realizadas para alunos da escola, suas famílias e a comunidade em geral.

Desafio aos Estudantes: apreender as técnicas de audiovisual para propor, em pequenos vídeos, a abordagem de temas socioambientais referentes à BH do Rio Uberabinha, que possam favorecer o sentimento de pertencimento e de proteção aos seus recursos estratégicos por parte da população jovem da região.

Município, datas e horários: Uberlândia (dias 20 e 27 de setembro e 03, 04 e 10 de outubro, no período das 14h às 17h30). As aulas serão realizadas na sede do Colégio Nacional, à avenida Rondon Pacheco, 350.

Primeiro encontro: 20 de setembro – das 14h às 17h30.

A abertura das oficinas será comum a professores e estudantes (local: sala de aula dos professores).       

       

Apresentação da proposta das oficinas a alunos e professores – Betânia Côrtes (gestora de comunicação do projeto) –14h.

Abordagem:

Nosso objetivo com os professores é desafiá-los a apresentar propostas pedagógicas que envolvam os alunos – suas famílias e também a comunidade do entorno – na melhoria da qualidade ambiental da Bacia do Rio Uberabinha.

Nosso objetivo com os estudantes é propor a aprendizagem sobre a Bacia do Rio Uberabinha por meio das técnicas do audiovisual e de georreferenciamento. Queremos que se reconheçam como parte da bacia e que percebam que possuem responsabilidades na sua proteção ambiental, como cidadãos que são numa sociedade democrática.

Se alunos e professores puderem empregar conjuntamente o conhecimento apreendido no projeto em iniciativas da própria escola em favor do meio ambiente será um sucesso! Esses projetos serão intercambiados com as escolas parceiras (em Uberlândia) e as de Uberaba.

Outra finalidade, é o entendimento de que as mensagens digitais, sendo portadoras de atributos diversos, podem influenciar positivamente ou negativamente as comunidades e que é necessário saber usá-las de forma positiva.

Iremos nesta fala inicial apresentar o site da Angá e o link do projeto Uberabinha, meu amigo, para que os alunos possam conhecer melhor a proposta das oficinas e acompanhar e comentar suas participações em cada aula. Vamos convidá-los, a curtirem nossas redes sociais, comentarem e compartilharem os posts. Ele poderão, se o quiserem, falarem da sua experiência nas oficinas em seus stories pessoais, falando sobre as oficinas, o que acharam e o que aprenderam, expectativas para as próximas, arcando a conta da Angá para que possamos compartilhar.

  • Apresentação dos oficineiros presentes e dos professores e estudantes – 14h15 às 14h30. Professores e alunos informarão seus nomes e escolas e suas expectativas em relação ao projeto.  Os alunos poderão informar suas séries, escolas pertencentes, se já tem experiência com produção de vídeos, o uso que costumam dar ao celular e o conhecimento que possuem do Rio Uberabinha.

Palestra Iara Magalhães – cineasta

  • Porquê oficinas de audiovisual num projeto ambiental;

  • O uso das mídias digitais na difusão de temas de interesse coletivo;

  • O papel histórico dos veículos de comunicação;

  • Como a internet e as redes virtuais podem agregar e difundir informações de qualidade.

Oficina – Professores – 15h às 17h30. Café às 15h30. (1h30)

Palestra com Gustavo Malacco, presidente da Angá e proponente do Diagnóstico Socioambiental da BH do Rio Uberabinha junto ao Fhidro, Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais, com a intervenção do público.

 

Malacco abordará a atuação da Angá no movimento em defesa dos recursos hídricos e o atual modelo de participação da sociedade civil nas esferas de decisão das políticas ambientais, no país. Ele também fará uma síntese do que é o Projeto Diagnóstico Socioambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Uberabinha: Unidade de Planejamento e Gestão Ambiental. Sobre o tema, ele comentará o que é ter uma compreensão integrada e sistêmica dos processos produtivos que se dão na Bacia e o impacto que causam na qualidade e quantidade dos recursos hídricos. Por fim, apresentará as temáticas das próximas oficinas e da importância da participação dos professores das escolas parceiras no trabalho de implementação de medidas de melhorias da qualidade da Bacia do Uberabinha, propostas pelo Diagnóstico da Angá.

Finalização: vídeo da estudante sueca Greta  Thurnberg.

Oficina – Estudantes – das 15h às 17h15.

Coordenação Nara Sbreebow – cineasta – das 15h às 16h.

  • Minuto Lumière (desenvolvido pelo Núcleo de Pesquisa Inventar com a Diferença, da Faculdade de Cinema da Universidade Federal Fluminense): os estudantes irão tomar contato com a técnica baseada nas primeiras experiências com fotografia pelos irmão Lumière. A câmera fixa captará uma cena de um minuto. Sob o olhar observador de que manipula a câmera, o inesperado pode ocorrer.

Coordenação Eurípedes Luciano – biólogo – das 16h às 17h.

O biólogo fará uso do laboratório de informática, no qual utilizará o Google Earth Pró instalado nos computadores.

  • Introdução à bacia hidrográfica (definição, componentes, identificação e delimitação);

  • Uso de imagem de satélite (Google Earth);

  • A Bacia do Rio Uberabinha.

  • Para casa: os alunos farão a delimitação de micro bacias no entorno de suas casas (raio de 1.000 metros).

Primeiro encontro: 27 de setembro – das 14h às 17h30.

Oficina professores – das 14h às 17h15

Apresentação da bióloga Renata Moura – das 14h às 15h30

O projeto de biomonitoramento da BH do Uberabinha por meio dos macro invertebrados bentônicos.

Apresentação da bióloga Paula Hoemsing – das 16h às 17h30

As fitofisionomias encontradas na BH do Rio Uberabinha e as espécies mais ameaçadas;

Os impactos das atividades de exploração econômica sobre a flora do Uberabinha;

A importância de se conservar as formações vegetacionais remanescentes na BH do Rio Uberabinha.

Oficina estudantes – das 14h às 17h15

Coordenação Eurípedes Luciano – biólogo – das 14h às 15h30

Exercício de identificação e delimitação de uma bacia hidrográfica por meio de imagens de satélite/ interface IDE Sisamanet;

Localização e aspectos socioambientais no âmbito da BH do rio Uberabinha;

Diagnóstico ambiental (o que é e para que serve) / escolha dos parâmetros a serem avaliados (fauna, flora) / técnicas (som e imagem) nos diagnósticos

Uso da terra em uma bacia hidrográfica e suas implicações/uso da terra na Bacia do Rio Uberabinha;

Café – 30 minutos

Coordenação Nara Sbreebow – cineasta –  das 16h às 17h30

Conceito de roteiro básico para documentário; fontes de pesquisa; formato de roteiro pré-produção e roteiro de set; roteiro de pós gravação (decupagem, organização de tempo/imagens); técnicas de entrevistas;

Atividade prática: exercício de entrevistas entre os alunos; redação resultante da entrevista entre alunos no modelo roteiro.

Preparação dos alunos para a captura de imagem e som.

Terceiro encontro – 04 de outubro – das 14h às 17h15 -

Coordenação Eurípedes Luciano – biólogo

  • Biodiversidade: definições e importância para o meio socioambiental.

  • Implicações para conservação;

  • Contextualização em campo / observação do meio

Coordenação Nara Sbreebow – cineasta -  das 16h às 17h30.

  • Análise dos vídeos realizados pelos alunos no segundo encontro;

  • Proposição de um vídeo a partir de tema desenvolvido na oficina de meio ambiente;

  • Estudo de enquadramento, angulação e movimento: noções básicas para gravação de um vídeo.

Dia 10 de outubro

Eurípedes Luciano:

 

  • Finalização do tema Diagnóstico Ambiental (o que é, como fazer e qual a sua importância);

  • Entender, na prática, a utilização dos dados de um diagnóstico ambiental por meio da plataforma IDE Sisema.

Nara Sbreebow

 

  • Análise dos vídeos produzidos na última aula sobre o tema biodiversidade;

  • Dinâmica sobre os projetos ambientais em curso nas escolas com o objetivo de fomentar a participação dos alunos e levar à proposição de novas ideias.

Dia 26 de outubro

Aula de campo na reserva do Clube Caça e Pesca, com a participação de estudantes e professores das escolas parceiras.

Assine nossa newsletter e fique por dentro!

CONTATO 

Avenida Anselmo Alves dos Santos, 118 - Sala 4 - Santa Maria - Uberlândia - MG

T: (34) 3083-4228

E: anga@anga.org.br

© 2019 por ANGÁ.

Orgulhosamente criado com Wix.com